quinta-feira, 5 de maio de 2011

Quando me faltam as palavras...

29 comentários:

Graça Pires disse...

Tenho saudades do Zeca. Foi bom encontrá-lo aqui.
Beijos.

Andradarte disse...

Quando lhe faltam as palavras, sabe muito bem preencher os vazios....
É bom estar à mão...
Beijo

isa disse...

E quantas vezes elas ficam presas na garganta!
Zeca faz-nos tanta falta,querida!
Beijo.
isa.

Petrus Monte Real disse...

Falar, através de sinais ou imagens,
é muito difícil.
Julgo que compreendi muito bem a mensagem.
Faltam-me as palavras...
Muito grato.
Beijo

MPS disse...

"Quando a corja topa da janela..."

Isto é só para continuar com o Zeca que, tal como a si, me não sai do pensamento.

Um grande abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

intemporal! sempre!

o Zeca ficará sempre na memória dos tempos.

beij

Lilá(s) disse...

Eu estive lá nesse dia, nunca esquecerei.
Bjs

gaivota disse...

saudades de ouvir tantos temas e músicas do zeca, faltam as palavras e falta tudo..
bem-hajas, querida, zeca afonso é sempre de lembrar e homenagear!
beijinhosssssssssss milesssssss

O Guardião disse...

Por vezes sufoco com a raiva que me assalta, e não tenho a arte de conseguir cantar o que sinto.
Cumps

Idanhense sonhadora disse...

Recordaremos sempre o Zeca ,pis ele tem sempre a canção certa na hora que dela precisamos . Agora , às nossas mente vem logo "OS VAMPIROS!!!!"
Beijo
Quina

Filoxera disse...

Adoro!
Bom Domingo, amiga.
Beijos.

aflores disse...

Vou-te contar uma passagem da minha vida com o Zeca:

Foi com muita emoção que há muitos anos atrás, depois de Abril 74, estive num concerto do Zeca pela primeira vez.
Com a ajuda de um familiar cheguei junto dele...com as pernas a tremer e as lágrimas de emoção no rosto, levava numa das mãos um livro que me tinha sido oferecido por meu avô ainda eu não tinha 11 anos (!!) e que eu guardava (escondia) religiosamente.
Era uma versão com poemas do Zeca (proibido claro está, em Portugal)e que eu lhe pedi para autografar.
~Ele olhou para mim, no meio de alguns empurrões de fotógrafos, parou e perguntou:
- Quem te deu este livro?
- foi o meu avô (respondi eu)
- Dá um grande abraço ao teu avô (enquanto autografava o livro)e tu nunca o esqueças.

Não, nunca o esquecerei...nem o Zeca nem o meu Avô Joaquim ;):)

E tu Minha Querida Amiga, continua mesmo que as palavras te faltem.

Beijinhos

Tudo de bom.

Ana disse...

Nunca faltarão as palavras a quem faz escolhas como tu !
Zeca sempre !
Beijinho*

rouxinol de Bernardim disse...

Zeca Afonso está omnipresente nesta terra vampirizada por pragas de vampiros de colarinho branco...

BRANCAMAR disse...

Quando nos faltam as palavras o Zeca fala por nós...

Beijinhos querida Isabel.

Branca

De Amor e de Terra disse...

Minha querida Isa e que belas palavras encontras para substituirem as que te faltam!
Bjs. e Obrigada pela recordação e partilha.

Maria Mamede

Petrus Monte Real disse...

Grato pelo comentário no post "Cegonhas guerreiras".

Venho dizer-lhe que o mesmo foi removido, alegadamente, por causa da "manutenção de blogs". Aliás, o próprio post foi removido na mesma ocasião, tendo sido reposto mais tarde, na primitiva redacção, sem correcção ortográfica.
Estou muito triste com o sucedido!
Nada foi provocado por mim.
Beijo
Petrus

Fátima Pereira Stocker disse...

Cara Isabel

Truz, truz!

"Batem à porta da hospedaria
se for o vento, manda-o entrar!"

É a minha forma de continuar com o Zeca de lhe dizer que está a fazer falta.

Um grande abraço

JPD disse...

O Zé Afonso faz muita falta, pelas seguintes razões:

- Solidariedade;
- Capacidade de criar inigualável;
- A simplicidade desarmante das suas composições;
- Humildade como vivia e encarava os outros.

Bjs

o escriba disse...

Muito me tenho lembrado destas palavras do Zeca, especialmente nos últimos tempos deste circo em que transformaram o nosso país!


bjs
Esperança

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Isamar, grande canção de Zeca Afonso ainda muito actulizada...Espectacular....
Cumprimentos

elvira carvalho disse...

E dada a sua sensibilidade e o mundo em que vivemos vão decerto faltar-lhe muitas vezes as palavras.
Ouvir Zeca é sempre um privilégio pese embora a saudade que nos invade.
Um abraço

aflores disse...

alô alô! ;)

Então? Não há post novo por simples falta de saldo (de palavras) ou tempo? :):)

Vamos lá...

Fica aqui o meu abraço.

Tudo de bom.

helia disse...

Que saudades do Zeca Afonso! Os anos passam , mas a recordação fica!

greentea disse...

às vezes uma cançaõ é melhor que mil palavras !!

gaivota disse...

ontem e anteontem estive no meu / nosso mar... dentro de água, (um pouco, não sei se é conveniente...) um calor incrível! estive com as nossas gaivotas a agarrar um pouco mais de energia por mais uns dias de espera!
e com todos os meus amigos que passaram a ser a minha família de eleição!
dia 8, será o dia D...
gosto de ti, Amiga
beijinhossssssssssss milessssssss

tecas disse...

Zeca Afonso, vive sempre em nós através das suas letras, música e voz. É e será eterno, dentro da saudade.
Bem haja querida, por o recordar.
Bjito amigo e uma flor.
Grata pelas palavras de apoio e amizade deixadas no meu blog:)

Mariazita disse...

O inesquecível Zeca Afonso!
Soubeste muito bem preencher o silêncio motivado pela tua falta de palavras...

Resto de boa semana. Beijinhos

De Amor e de Terra disse...

Minha querida Isa, bom dia!
Obrigada pelas tuas belíssimas palavras.
Quando uma mulher rasga a alma, o eco ressoa em muitas outras almas, principalmente de mulher.
Gosto sempre de aqui vir, bem sabes, embora não o faça com muita frequência, mas hoje, tal como em mais vezes, ver e ouvir o Zeca nesta vinda tem sabor especial.
Bjs. e bom fim de semana.

Maria Mamede