sábado, 18 de dezembro de 2010

Poema de Natal



Tu que dormes a noite na calçada de relento
Numa cama de chuva com lençóis feitos de vento
Tu que tens o Natal da solidão, do sofrimento
És meu irmão amigo
És meu irmão

E tu que dormes só no pesadelo do ciúme
Numa cama de raiva com lençóis feitos de lume
E sofres o Natal da solidão sem um queixume
És meu irmão amigo
És meu irmão

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher
Tu que inventas ternura e brinquedos para dar
Tu que inventas bonecas e combóios de luar
E mentes ao teu filho por não os poderes comprar
És meu irmão amigo
És meu irmão

E tu que vês na montra a tua fome que eu não sei
Fatias de tristeza em cada alegre bolo-rei
Pões um sabor amargo em cada doce que eu comprei
És meu irmão amigo
És meu irmão

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher.

Ary dos Santos


A todos os meus amigos desejo um Santo Natal. Apesar da crise não deixemos morrer a esperança que os mais novos precisam de ver espelhada nos nossos olhos para acreditarem no presente e lutarem por um futuro mais justo .

10 comentários:

Maria disse...

Acho que mesmo só o Ary dos Santos poderia ter escrito este poema.
Bom Natal para ti e família, e um ano de 2011 cheio de Futuro!

Um beijo.

Isa disse...

Bom Natal e um 2011 com Saúde e Paz.
É difícil pensar noutras coisas.
Beijo.
isa.

Fátima Pereira Stocker disse...

Cara Isabel

Não deixemos, nunca, morrer a sede de justiça, irmã gémea da capacidade de agir em auxílio de quem precisa de nós.

O seu regresso é uma luzinha na árvore de Natal que não sou capaz de erguer. Bem-haja.

Um grande abraço

o escriba disse...

Amiga Isabel

Bom Natal para ti e para os teus, com saúde e esperança.


bjinhos
Esperança

pinguim disse...

É bom ver este espaço de novo aberto...
Para ti também votos de um Bom Natal e um ano de 2011, o melhor possível, o que nunca será fácil.
Beijinho.

Andradarte disse...

Tinha saudades de passar por aqui...
Adoro a poesia de Ary e esta fica muito bem na caneta dele....Natal será quando cada um de nós quiser....
Um Bom Natal Amiga..
Beijo

Fragmentos Culturais disse...

Querida amiga, aqui já é Natal! Não me esqueceria de ti!

O poema de Ary reflecte bem o momento presente, afinal...

Espero voltar! De qualquer modo, deixo-te um fraterno beijo!

gaivota disse...

o natal quen trazemos no nosso ventre... na esperança de vida dos nossos filhos e depois dos nossos netos!
é lindo este poema, como tantos de ary dos santos...
nesta época de Natal, muito invernoso, por dentro e por fora, deixo-te os melhores votos de uma Santo e Feliz Natal para ti e toda a família , muitas prendinhas no sapatinha da vossa princesinha Maria...
e 2011 seja pleno de paz, amor, solidariedade e muita luz na união dos povos e de todas as gentes!
bemhajas,Isabel querida
milesssssssssssssssss beijinhossssss

Fa menor disse...

E porque é Natal:
os meus votos de uma feliz quadra Natalícia!

Beijinhos

Vieira Calado disse...

Olá, como está!

Hoje é simplesmente para desejar

Bom Natal

a si e aos seus!

Saudações poéticas.


*** Estive a ouvir, com gosto,

Os Índios da Meia Praia.