domingo, 13 de setembro de 2009

Original é o Poeta


Original é o poeta
que se origina a si mesmo
que numa sílaba é seta
noutro pasmo ou cataclismo
o que se atira ao poema
como se fosse um abismo
e faz um filho às palavras
na cama do romantismo.
Original é o poeta
capaz de escrever um sismo.

Original é o poeta
de origem clara e comum
que sendo de toda a parte
não é de lugar algum.
O que gera a própria arte
na força de ser só um
por todos a quem a sorte faz
devorar um jejum.
Original é o poeta
que de todos for só um.

Original é o poeta
expulso do paraíso
por saber compreender
o que é o choro e o riso;
aquele que desce á rua
bebe copos quebra nozes
e ferra em quem tem juízo
versos brancos e ferozes.
Original é o poeta
que é gato de sete vozes.

Original é o poeta
que chegar ao despudor
de escrever todos os dias
como se fizesse amor.
Esse que despe a poesia
como se fosse uma mulher
e nela emprenha a alegria
de ser um homem qualquer


Ary dos Santos

39 comentários:

tulipa disse...

Sei que gosta de fotografia,
por isso
tomei a ousadia de lhe fazer um
CONVITE:
Estive 5 dias isolada do mundo, num encontro espiritual comigo mesma, num monte alentejano e, por isso tenho que muito rapidamente divulgar a minha próxima exposição de fotografia.

Desta vez será no “Norte” a pedido de várias pessoas, em Fevereiro passado, quando foi a minha 1ª exposição individual aqui próximo de Lisboa, na margem sul.
Como gosto de desafios, houve “alguém” que me desafiou e disse que colaborava, nem pensei 2 vezes e decidi tratar do assunto em Abril passado.

Chegou Setembro e será a minha rentrée cultural.
Fica o convite para quem vive perto e noutros casos, em que a distância impossibilita a presença de tantos bloggers, fica a participação do evento.

Venho reforçar que teria todo o gosto em que estivesses presente na minha rentrée.
Será muito próximo do Porto, em S. Mamede de Infesta.

Já fiz a divulgação no meu blog.

Abraços, TULIPA

elvira disse...

Que bom encontrar aqui o Ary dos Santos. Este é um poeta de que muito gosto.
Amiga desejo-lhe uma óptima semana.
Um abraço.


À margem: Não foi ao gmail?

pinguim disse...

Minha amiga
há muito ando para fazer um post muito especial sobre Ary dos Santos; ainda não o fiz por razões pessoais, mas agora com este poema, veio-me de novo a vontade e vou mesmo escrevê-lo; será um dos próximos posts.
Beijito.

Zé Povinho disse...

Um dos muitos que mereciam maior divulgação e maior destaque no pobre panorama cultural português.
Abraço do Zé

Isa disse...

Ñ me canso de ler Ary!
Grande Poeta.
Beijo.
isa.

Lilá(s) disse...

Grande poeta, gostei deste encontro.
Bjs

helia disse...

"Original é o Poeta
que de todos fôr só um..."

Lindo Poema de Ary dos Santos!

Vicktor disse...

Querida Isabel

Ler Ary é fazer um enorme percurso de maravilhosas memórias...

Obrigado por aqui trazeres este poeta e ser humano de corpo inteiro.

Quando leio Ary vem sempre à minha memía tertúlias noite fora na livraria dos Olivais onde ele tantas vezes aparecia...

E naqueles momentos de maior exaltação sair uma caravana na direcção da Av.EUAmérica e ir ler colectivamente um "ultimo poema" a casa do Companheiro Vasco.

Beijinhos.

jo ra tone disse...

Isabel,
Ser poeta original é isso mesmo.
De uma pequeníssima parte que conheço deste pequeno mundo, valorizo muito os actores/poetas originais "anónimos" que escrevem maravilhas, e que me fazem ganhar algum tempo a ler e reflectir cada pequena frase por eles construídas.
Levo algum tempo a compreender o sentido de alguns poemas...
Mas vou lá!
Beijinho
Boa escolha

Andradarte disse...

Ary dos Santos e Joaquim Pessoa...
meus poetas de eleição.
Será que também tenho revolta dentro de mim???....Nã...
Beijo

Brancamar disse...

Querida amiga, mal entrei aqui e vi os dois primeiros deliciosos posts senti o que tenho perdido com as minhas visitas atrasadas.
Sempre adorei este poema de Ary dos Santos, aliás todos, é impossível não gostar da sua originalidade e da facilidade com que com palavras acessíveis a toda a gente construía poesias geniais.
Volto logo para ver o resto.
Beijinhos para ti e também para a tua Maria que deve estar muito crescidinha.
Da sempre amiga
Branca

gaivota disse...

e poeta castrado, NÂO!
ando longeeeeeeeeeeeee
lindo sempre, ler e sentir ary..
beijinhos, sempre, milessssssssssss

heretico disse...

bravíssimo Ary!...

gostei muito de (re)ler aqui!

beijo

MPS disse...

Mais, até, do que do conteúdo, aprecio a musicalidade - toda ela vocálica - da poesia do Ary.

Por trás de cada poema costuma haver uma história. Na origem deste esteve, certamente, uma história de insídia.

Um grande abraço e obrigada por este bocadinho

Fa menor disse...

Um belíssimo poema!

Boa escolha.

Bjinhos

Sara disse...

Gostei muito de reler este poema lindo do saudoso José Carlos Ary dos Santos. Fez-me lembrar de um livro que li à uns anos com os seus fantásticos poemas. Fazem falta pessoas como ele, rebeldes e irreverentes mas ao mesmo tempo de alguma forma doces. Foi uma grande senhor e uma grande perda para a cultura portuguesa. Fica, no entanto, o legado... e que grande legado!

Graça Pires disse...

Gostei de passar por aqui e encontrar o grande poeta Ary dos Santos. Obrigada.
Beijos.

margusta disse...

Querida Isabel,

...ADOREI ler este poema do Ary.

Deixo-te um grande beijinho e votos de que tudo esteja bem contigo e os teus.

Margusta

Carlos Albuquerque disse...

Acabo de chegar via "Escrito a Quente" (Filoxera).
Bom dia!
Dei uma volta (pequena, ainda, mas voltarei) pelo seu blog. Encontrei Ary dos Santos (...eram para aí mais de mil...), Brecht, Lorca, Torga...e as flores de que tanto gosto - os cravos vermelhos!
Gosto do que aqui encontro. Junto-me aos seus seguidores. Se quiser incluir-se nos meus será muito bem-vinda.
Um abraço e até breve

DE-PROPOSITO disse...

Original é o poeta
------------
E de que maneira !...
---------
Felicidades
Manuel

Papoila disse...

Querida amiga:
Ary muito bem lembrado com este magnífico poema!
Beijos

gaivota disse...

que é feito de ti, minha amiga?
pensei que já tinha por aqui andado, mas lá pelos açores nem sempre o acesso à net era fácil...
poeta castrado é que não!
linda homenagem, sempre!
beijinhossssssssssss milesssssssss

Brancamar disse...

Retorno para um beijinho e desejar tudo de bom.
Com amizade.
Branca

aflores disse...

Aos poucos, e depois de um periodo de férias maravilhosas, vou voltando ás minhas pequenas rotinas.
Até aqui não sou nada original...mas, é sempre bom voltar aos "cantinhos" como o cata-vento, onde tenho sempre leitura agradável.
Quem é que não gosta de Ary?

Beijinhos

Tudo de bom;)

Vieira Calado disse...

Escreveu sempre

com o pensamento nos outros.
Na sua formação cívica.

Um grande homem!

Beijoca

Maria Emília disse...

Que bom ter-nos trazido Ary dos Santos a brincar com as palavras. Obrigada Isa.
Um beijinho,
Maria Emília

Ana disse...

Escrever todos os dias como se fizesse amor.

A falta que faz o grande poeta que foi Ary dos Santos.
Obrigada por o recordares aqui.
Um beijo, amiga.

jo ra tone disse...

De volta para te enviar um calorzinho daqui.

lagartinha disse...

E pronto, já disseram tudo.
Resta-me desejar que publique mais, pois praticamente estreei-me aqui no mundo da poesia. É assim como que uma biblioteca poética...
Beijos grandes

margusta disse...

Querida Isabel,
...desculpa-me nem sempre retribuir a tempo o carinho que me deixas nas tuas palavras...não é por te esquecer! Porque não esqueço que sempre me destes a tua mão...sei que estás sempre atenta e por perto pronta a ajudar. Bem hajas por isso Isabel!

Obrigada por tudo!

Um Abraço muito grande e mil beijinhos,
Margusta

Filoxera disse...

Boa escolha.
beijos

Brancamar disse...

Isabel,

Espero que esteja tudo bem contigo.
Venho deixar-te um beijo e votos de bom fim de semana.
Branca

elvira carvalho disse...

Passei e deixo um abraço.
E desejos de uma boa semana

margusta disse...

Boa noite Isabel,
...venho agradecer mais uma vez as tuas doces palavras, e deixar-te um beijinho de boa noite!

Margusta

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, belo poema de Ary dos Santos...Espectacular...
Beijos

Ana disse...

Saudades de te ler, amiga!

Haverá outro lugar onde te possa perguntar se está tudo bem contigo?
Um beijo.

Fragmentos Culturais disse...

Que bom reler Ary! Um poeta tão mal-amado nos dias que correm :(

Uma sensibilidade muito especial, viveu intensamente!

Bom fim-de-semana... já com odores outonais!

Lamento ter-me mantido afastada (assuntos que já tive oportunidade de expor em 'fragmentos').

elvira carvalho disse...

Passei. Deixo um abraço e uma pergunta:
Já foi ao Gmail?
Bom feriado.

Marisa disse...

Estive aqui lendo tuas idéias.
Voei contigo por instantes no enlêvo da poesia.