domingo, 9 de agosto de 2009

Até Sempre, Raul!



A Raul Solnado coube a sorte, para além de ser um dos maiores actores cómicos que Portugal já conheceu, de se tornar um recordista de vendas discográficas com discos que nem canções tinham. De facto, as gravações dos monólogos que criou em revistas nos anos sessenta bateram recordes de vendas na altura - mas Solnado chegou igualmente a gravar canções, tornando-se Malmequer um enorme êxito em 1972.Natural de Lisboa, onde nasceu em 1929, Solnado estreou-se como actor em 1947 no grupo de amadores da Sociedade Guilherme Cossul e, em 1952, estreava-se profissionalmente como actor. 1953 trouxe a sua estreia na revista, por iniciativa de Vasco Morgado, que reconheceu o seu talento de comediante e, durante os dez anos que se seguiram, tornou-se um dos mais populares actores de revista.Contudo, foi preciso o disco para a sua popularidade atingir níveis inusitados: mais precisamente, um disco que reunia A História da Minha Ida à Guerra de 1908 e A História da Minha Vida, que bateu todos os recordes de vendas de discos até então, vendendo até mais do que Amélia! A Guerra de 1908 era originalmente um sketch teatral do humorista espanhol Miguel Gila que Solnado ouvira em disco e adaptou para português, interpretando-o na revista de 1961, Bate o Pé. Não havendo em Portugal tradição deste tipo de humor absurdo, o sketch entrara na revista a contragosto da produção e por imposição do actor, que viu a sua insistência validada pelo enorme sucesso que o monólogo obteve. A partir daí, Solnado introduziu em muitas das revistas em que trabalhou monólogos semelhantes, que obtiveram igual sucesso, tanto no palco como em disco, até 1968, ano em que grava o último desta série. Em 1965, Solnado afasta-se do teatro de revista e passa a dedicar-se exclusivamente ao teatro de comédia e à televisão, onde contribuiu para o sucesso de programas como o Zip Zip, A Visita da Cornélia e O Resto São Cantigas, este último recordando os músicos e compositores que haviam feito a época áurea da música ligeira portuguesa.


Imagem e texto retirados da net






Não tenho palavras para descrever o que sinto neste momento. Eu nasci na altura em que Solnado se estreou como actor profissional e comecei ouvi-lo na rádio e nos discos muito pequenina ainda. Chorava de tanto rir com o seu humor ímpar onde não havia necessidade de recorrer ao impropério para fazer soltar a gargalhada. Foi um exímio comediante, um actor inesquecível, um Homem Bom. O seu sorriso de menino ingénuo e o olhar "maroto" não se perderam apesar do seu conhecimento da vida no mais lato conceito que a palavra tem.

Há pessoas que nos marcam e o Raul deixou marcas indeléveis em várias gerações e a dívida de gratidão que temos para com ele é muito, muito grande.

Hoje, faço o favor de "ser"feliz, por ti, Raúl, que sempre gostaste de fazer felizes aqueles que te ouviam, te viam, estavam à tua beira mas a dor que sinto no peito, o nó na garganta vão fazer-se sentir por muito, muito, tempo. Depois, bem, depois continuarei a lembrar-me de ti, das peças de teatro que vi nos palcos de Lisboa e em muitos outros palcos deste país até que a memória mo permita.


Obrigada, Obrigada, Obrigada...


Até sempre!

18 comentários:

Avelaneira Florida disse...

Olá Isa!!!!!

Para quem como eu nasci em Lisboa, numa Lisboa muito especial, mais uma Memória que se transfere para outra dimensão...
Solnado foi a minha infância. Fará parte de todas as minhas recordações!!!
Todas as homenagens serão mais do que justas!!!!

Bom resto de domingo!
Bjkas!!

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

Justa homenagem , a um grande actor , a um homem bom !
Fiquei triste , triste ... Quando me cruzava com ele na rua , esboaçava sempre um sorriso para mim ! E lembrava-me de supetão da minha infância!
abraço
_______ JRMarto

pinguim disse...

Das mais belas homenagens, das muitas que aqui apareceram na blogosfera acerca da perda de todos nós de um homem de excepção.
Beijinho.

aflores disse...

Como ele disse numa das últimas entrevistas que deu:
"até sempre, até breve e...façam favor de ser felizes"

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Isamar, justa homenagem a Raul Solnado....

Lilá(s) disse...

Bela homenagem, uma grande perda para todos.
Bj

gaivota disse...

faço minhas as tuas palavras, obrigada, o brigada, obrigada por todos os momentos fantásticos que nos proporcionou!
pela bondade e por ter sido um Senhor íntegro ficará sempre nas nossas recordações...
podióóóóóóó chamá-loooooooooooo
bem-hajas pela linda homenagem que aqui deixas
beijinhossssssssssss milessssssssssss
(hoje mais triste ainda, as minhas princesinhas já foram...)

elvira carvalho disse...

Muito bonita esta homenagem. Não me lembro da primeira vez que ouvi o Raul Solnado. Lembro-me de o ver no Zip Zip e daí para cá.
Fiquei triste com a notícia. A cultura portuguesa ficou mais pobre, todos nós ficámos mais pobres.
Um abraço e obrigada por este post.

Espaço do João disse...

Bonito texto e bonita maneira de visitares o meu espaço.
Eu não digo Obrigado Raul Solnado. Direi sempre fiquei grato por ter partilhado grandes momentos de bom humor com ele. Pessoa simples e educada. Trabalhador incansável, amigo do seu amigo e, não só. Estás eternamente presente entre nós, mesmo com aqueles que não conheceram aquilo que fez em benefício dos outros sem lhes cobrar nada. Até uma próxima Raul havemos de encontrar-nos.

mixtu disse...

obrigado raul
a guerra ed 1908 é um ícone...

obrigado e façam o favor de serem felizes...

abrazo serranos

Maria Emília disse...

É verdade, Raul Solnado está entre os que jamais serão esquecidos.
Um abraço,
Maria Emília

Filoxera disse...

Hoje estou muito sensível.
Deixo um abraço lacrimejante...

IsaMar disse...

uma homenagem linda e merecida.

Fca bem, Isamar
Eu tb sou Isamar, Isa de isabel, Mar de Marie porque gosto do mar.

Isa disse...

Pois é,"Cata- vento,hoje ñ consigo
seguir o conselho dele.
Ñ consigo falar,fico assim,quando a dor é grande!
Obrigada pelo teu texto,querida Amiga.
Beijo.
isa.

amigona avó e a neta princesa disse...

É isso mesmo minha querida amiga, façamos o favor de ser felizes em memória de quem tanto o desejou...saudades minha querida...muitas...tal como tu estou mais ausente, ora é o computador (está uma desgraça!) ora o tempo que escasseia...mas sempre, sempre lembro de ti...beijos amiga...muitos...

lagartinha disse...

Tive a oportunidade de conhecer pessoalmente este Grande Senhor.
Fantástico ser humano...
Beijinhos

EDUARDO POISL disse...

De tudo ficaram três coisas...
A certeza de que estamos começando...
A certeza de que é preciso continuar...
A certeza de que podemos ser interrompidos
antes de terminar...
Façamos da interrupção um caminho novo...
Da queda, um passo de dança...
Do medo, uma escada...
Do sonho, uma ponte...
Da procura, um encontro!

Fernando Sabino

Hoje passei pra deixar um poema para refletir e desejar uma semana linda com muito amor e carinho.
Abraços.

O Guardião disse...

Passei para cumprimentar e desejar uma boa semana.
Cumps