sábado, 11 de abril de 2009

Feliz Páscoa!


Há muito que venho pensando escrever-vos um texto meu, só meu, à semelhança do que acontecia quando abri o primeiro blogue. Um miminho para quem me tem mimado tanto. Aqui fiz amigos, deculpem recorrer tanto ao tema, que por vezes, julgo não merecer. Consciente ou inconscientemento, deixo transparecer resquícios de um frágil equilíbrio emocional. Não o mereceis. Peço-vos desculpa! O passado recente não me tem deixado alinhavar sequer meia dúzia de linhas para vos dedicar mas continuo a alimentar a secreta esperança de que um dia retornarei à blogosfera com a alegria que sempre me caracterizou. Busco sinais que indiciem a vitória do passado sobre o presente mas ainda não são fáceis de encontrar. Tropeço aqui, acolá, mas , até agora, tenho conseguido sair mais ou menos ilesa dos pequenos percalços da vida. Nos últimos tempos, sinto-me cada vez menos dogmática , dotada de um certo desencanto que me deu o braço e não está a ser fácil conseguir o divórcio de forma amigável. O stress é uma das companhias habituais do meu quotidiano mas outras vieram juntar-se à medida que a casa vai ficando mais vazia. Portuguesinha de gema, tento combater esta neblina/ nevoeiro de um certo sebastianismo genético e , assim, metereologicamente falando, vou aguardando boas abertas, com céu azul e sol radioso. Aqueles que melhor me conhecem, têm estado atentos aos indisfarçáveis sinais de uma nostalgia que parece ter vindo para ficar. Nunca fui muito obediente ao calendário e, talvez por isso, a máxima de " Ano Novo Vida Nova" nunca tenha feito grande sentido mas desta vez vou acatar a Páscoa ( passagem) para tentar fazer a alteração que há muito venho tentando sem sucesso. Resolvi regressar ao campo que me viu nascer, a este outro Algarve, o serrano, que ainda ostenta traços comuns a outras serranias mais a norte onde a genuidade das pessoas se vai tentanto preservar dos males daninhos do progresso. Aqui, ainda se combinam almoços e jantares pelo prazer de conversar, de ouvir, de ajudar e não pela comezaina à maneira romana. Aqui, ainda se destilam carinho, honestidade, solidariedade de formas que não sabemos localizar no tempo mas temos a certeza que são seculares. Empresta-se ou dá-se um pão até nova cozedura, o mesmo se faz com os ovos, com as batatas , com as alfaces...
A generosidade reinante faz com que cada vez mais queira regressar ao berço. Estranhamente sinto-me mais só no meio da cidade do que aqui onde as casas são poucas e quase sem vivalma. É que as poucas gentes ainda existentes são cheias. Cheias daqueles afagos indispensáveis ao ser humano mesmo ao menos jovem.

Bem-hajam, amigos! Tenham uma Páscoa Feliz e, se puderem, aproveitem a passagem, façam como eu, e tentem fazer mais felizes aqueles que convosco convivem.

21 comentários:

vaandando disse...

ISAMAR,
acabo de ler-te , e perceber-te triste, e com vontade de regressar às origens, e se nelas é tudo ainda tão genuíno, pois volta e sê muito feliz , ou retira de cada momento , o que ele te oferecer do verdadeiro que te faz falta.
As cidades às vezes são verdadeiros mundos impessoais, onde a solidão impera fazendo de cada indivíduo um átomo... Compreendo-te!
Um Abraço e venha de lá um grande ramo de cravos vermelhos, no cinzento lindo do teu catavento !
Abraço amigo

_______ JRMARTO

Isa disse...

Pois,olha,linda,sabes q.mais? Também deixei chegar uma lagrimita.
Esta sensação de"ninho" vazio,dói-me. Já combinei o almoço com os Filhos e netos.
Depois é o regresso a casa.Só.
Mas tb recuso companhia...Ah,Amiga,
sou "munto" complicada,para uso interno.
Tem uma boa Páscoa.
Beijo.
isa.

Victor disse...

Querida Isamar
No caminhar da vida vamos, na realidade, deixando muitas referências pelo caminho. É humano sentirmos a falta delas e quantas vezes não ficamos sem resposta a perguntas que somente nessas referências encontrariam eco.
Mas não é menos verdade, que sem disso nos apercebermos, vamos nós também sendo referências para os filhos e netos.
Continuamos, pois, a ter muito ainda para partilhar com quem ainda nos acompanha nesta caminhada.
Valorizemos esse facto e caminhemos com toda a genica.
Boa Páscoa. Beijinhos.

Avelaneira Florida disse...

Querida I.

Não é altura para desânimo!!!!!!!!! A primavera aí está, fazendo reviver a natureza e a força da vida. Esta vida que é feita de avanços e recuos, de perdas e ganhos, de emoções súbitas e de tranquilas pausas...e sempre, sempre com vontade de chegar até ao mar!!!!!
E é nesse mar, nessa água imensa, nesse azul de mil variações que a alme se enche de força para subir à montanha, correr pela planície ou ficar no alto da colina a olhar o sol que se perde no horizonte...

Nesse teu berço inicial re-encontrarás toda a FORÇA:a que está em ti, apenas esperando que a olhes mais de pertinho, para que brote em torrente.
Ãnimo, AMIGA!!!!!
TUDO DE BOM PARA TI, E PARA OS TEUS!!!!!!

Bjkas!

Maria disse...

Que posso dizer-te, se tenho acompanhado quase sempre em silêncio os teus "sim e não" ou "vai e vem" que caracterizam sempre as alterações de emoções (equilíbrio emocional é uma expressão tua...)...
Tens razão quando dizes que se fazem amigos na blogosfera. Uns deixam de ser virtuais. E agora mesmo que acabo de chegar de um encontro de bloggers "pela mudança" (de tanta coisa que há ainda para mudar) estendo-te um dos braços que abraçou uma Amigona comum, de há tanto tempo. Ficarão indelevelmente ligadas, tu e ela, à minha percepção do que poderia ser a blogosfera. No que tem de positivo. Sim, porque também há (e muito) de negativo.
Assim, com desejos de uma Boa Páscoa, deixo-te o sorriso que ela e eu trocámos quando nos vimos e o abraço e beijo que nos demos. é extensível a ti, sempre.

Outro beijinho, Isabel

Brancamar disse...

Não tenho palavras.
Penso que este tempo triste que se tem feito metereológicamente também nos abate e a nostalgia hoje também impera por aqui. Não sendo o dia em que posso ser boa companhia, só te deixo a certeza que isto é onda que passa e voltarei porque sei que vais voltar melhor.
A tua sensibiliddae extrema faz-te essas partidas, mas sei que tudo vai ficar bem.
Aproveita essa paz da serra, como desejas (e como te compreendo, é algo que me anda a apetecer!) e tenho a certeza que ficarás renovada e em paz. Não há melhor ambiente para falarmos connosco mesmos.
Muitos beijinhos.
Branca

O cobrador disse...

Cara Amiga.
Uma feliz Páscoa!
Faço votos que você seja sempre muito feliz.
Nesta Páscoa...
Abra o seu coração para Luz Divina entrar...
Deus é Fiel!

ADiniz disse...

Boa Noite Isamar!
Uma parabola pra você.

"A família das nuvens brancas que flutua no céu azul divide-se e dois grupos: de um lado, a grande massa de nuvens cujo objetivo é o calor do sul,o oeste, ou o leste. De outro lado, há ainda u pequeno grupode nuvens que reconheceu que, por serem nuvens, estão destinadas a serem impelidas pelo vento.Elas não têm nenhum objetivo ou apenas um: o de seguir o seu caminho, obedecendo ao vento - e assim, entãosempre em harmnaconsigo e com o objetivo. Ao final do dia, porém, todas as nuvens se encontram no mesmo lugar."
Texto de Rüdiger Dahlke

Liberdade de escolha,
o silencio é também uma escolha.
Feliz Páscoa.
Beijos.

alex disse...

Amiga
Nestas épocas festivas às vezes tê-mos tendência a ficar nostálgicas e melancólicas.Mas é Abril M~es de alegria que se veste de vermelho. com o passar dos dia.
Força
e
um Abraço cordial

Lobinho disse...

Apesar de ainda nao ser o "post definitivo" da alegria, é já um começo e um sinal de esperança.

Boa Páscoa, docinha para alegrar, tá? =)



Daniel

Zé Povinho disse...

O ser humano sente a falta de afectos, e nós portugueses costumamos ser particularmente carentes nessa matéria, por isso é fácil compreender a nostalgia que com maior ou menor frequência nos assalta. Os amigos, a família o nosso cantinho, as nossas recordações... tudo isto nos dá força.
Abraço do Zé

ASPÁSIA disse...

AMIGA!

AINDA NÃO PUDE LER O TEXTO, MAS BEM SEI QUE TAMBÉM ATRVESSAS TEMPOS CINZENTOS.
POR AQUI O MESMO E MUITO TRABALHO DE CASA E MUITAS MEMÓRIAS QUE VOU ENCONTRANDO EM PAPEL.
E HOJE UM ANIVERSÁRIO TRISTE, O DO FALECIMENTO DE MINHA MÃE. IREI AO CEMITÉRIO.

E MINHA TIA QUE CONTINUA SEM PODER ACOMPANHAR-NOS...

TEMOS DE NOS CONFORMAR E IR FAZENDO POR TER ALGUNS MOMENTOS DE DISTRACÇÃO.
E AINDA DAR GRAÇAS A DEUS, PARA OS CRENTES OU AO DESTINO, PARA OS QUE NÃO SAÕ, QUE NÃO NOS ACONTECEREM MALES MAIORES, COMO SUCEDEU AOS POVO ITALIANO, QUE NOS É TÃO QUERIDO.

BEIJINHO MUITO GRANDE E AMIGO!
OUTRO PARA A MARIA!
ABRAÇOS PARA TODA A
RESTANTE FAMÍLIA.

Jorge P.G disse...

UMA PÁSCOA FELIX PARA TI E OS TEUS QUERIDOS!

Bom Domingo de Festa!

Abusar da alegria, não da alimentação!

Um abraço.

ASPÁSIA disse...

JÁ LI O POST, QUE SÓ VEIO CONFIRMAR O QUE EU JÁ HÁ MUITO VENHO (PRES)SENTINDO DE COMO TE SENTES AMIGA!

DEVES PENSAR EM QUE TENS TANTAS COISAS BOAS! FAMÍLIA, AMIGOS VERDADEIROS, A PAZ DESSA CASA SITUADA EM AMBIENTE PARADISÍACO! ESSES CÂNTICOS DE MELROS - ESSES FELIZMENTE TAMBEM OUÇO AQUI NAS TRASEIRAS DO PRÉDIO, ONDE AINDA HÁ MUITOS QUINTAIS COM ARVOREDO - ESSES ODORES SERRANOS - ESSES É QUE AQUI NÃO TENHO, MAS MESMO ASSIM TENHO ALGUM CHEIRO DE UMA NESPEREIRA ALI EM BAIXO, MAS à QUAL OS DONOS DO QUINTAL NADA LIGAM. QUANTA NÊSPERA PERDIDA, APENAS ALIMENTO DOS PARDALITOS.

FAÇO VOTOS QUE ESSAS FORÇAS SE VOLTEM DEPRESSA PARA O EXTERIOR POIS SEI QUE AS TENS - QUE A MIORIA DE NÓS AS TEM DENTRO - MAS MUITAS VEZES FICAM DENTRO DE NÓS ENQUISTADAS COMO A PÉROLA DENTRO DA OSTRA. EU SINTO O MESMO! É VERDADE Q TENHO UM POBLEMA DE SAÚDE CHATO EMBORA NÃO GRAVE E HÁ DIAS QUE ME TIRA MUITO O ÂNIMO. E TAMBÉM ANDO ARRIMADA À MEDICAÇÃO, QUE ME TEM MANTIDO BASTANTE MELHOR.

REVÊ OS ANTIGOS PAPÉIS DE TEUS PAIS, VELHAS CARTAS! NÃO CALCULAS O QUANTO TENHO SABIDO DOS MEUS ANTECEDENTES, DE IRMÃ E FAMÍLIA AO ESTAR A FAZER UMA TAREFA QUE ME PREJUDICA OS OLHOS, MAS QUE TENHO MESMO DE FAZER E ALÉM DO MAIS ME DÁ PRAZER. E AINDA ME FALTA MUITO PARA ACABAR.

ESPERO QUE SEJA UM BONITO DOMINGO AÍ NA SERRA. VAI É DAR UMA VOLTINHA, AREJAR, ACOMPANHADA,DE PREFERÊNCIA! QUEM SABES ENCONTRAS UM SORRIDENTE COELHINHO A DIZER-TE "ANIMA-TE, ISAMARINHA, VEM DAR UNS PULINHOS COMIGO!"

MAIS BEIJINHOS DOCES!

pinguim disse...

Isabel
por vezes sentimos que temos que modificar algo para não cairmos no cinzentismo e motonia da rotina...
Este post revela uma tristeza grande, mas também uma imensa vontade de mudar alguma coisa; e não haverá melhor altura para o fazer do que neste período pascal, sinónimo de "mudança". E a opção algarvia, não dos turistas, mas dos algarvios parece ser muito sensata e coerente...
Boa Páscoa também para ti e para os teus.
Beijinhos.

Fragmentos Culturais disse...

... um beijo fraterno, na esperança que escolhas o 'campo do grande grupo de nuvens... aquele que vem para aquecer', segundo a parábola de um amigo teu!

Concordo que o silêncio é uma também uma 'escolha', sim! Mas há momentos que nos dividimos entre a vontade de quedar silenciados e a vontade de abrir o pedaço de silêncio e deixar sair dele as palavras...

Continuação de um domingo 'sereno' o teu, este de Páscoa!

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Mesmo sendo época de coelhinho, meu computador esta mais para tartaruga, por isso só estou passando para desejar uma linda semana com muito amor e carinho.
Um grande abraço
Eduardo Poisl

elvira carvalho disse...

Li este texto ontem. Mas ontem foi um dia muito difícil e não fui capaz de comentar.
Também não há muito que comentar, temos falado tanto que sabe de cor o que eu penso disso. Vá para a serra sempre que disso tenha necessidade, mas lão se feche lá a pensar que vai ser feliz lá e que é a cidade a causa da sua tristeza. Porque não é verdade. Não são os lugares que nos dão alegria ou tristeza. A alegria ou tristeza vivem dentro de nós e somos nós que os transmitimos aos lugares em que estamos. É dentro de si, que tem que encontrar o que anda procurando por aí. A serra tem boas recordações de outros tempos e inconscientemente você procura lá voltar para viver essas recordações.
Olhe para a frente amiga. Olhe para o futuro, simbolizado nos filhos e neta. São eles a semente que deixa neste mundo quando partir. Quer que eles a recordem como alguém sempre triste, sempre desfasada do presente, sempre em depressão? É essa a imagem que quer deixar aos seus?
Desculpe se fui rude, mas eu penso assim e já lhe tenho dito muitas vezes.
Um grande abraço e por favor não deixe de ir ao médico HOJE.

Riscos e Rabiscos disse...

Primeiro que tudo agradeço a confiança por fazer parte do círculo de pessoas com quem partilha confidências.
Dizer a alguém que está triste "amanhã outro dia será, o tempo é um grande aliado, etc, etc" poderá soar a pouco... mas não deixa de ser verdade.
Deixo-lhe aqui uma mensagem simples, mas eficaz e igualmente verdadeira: Dizem que o tempo muda as coisas. O que me parece pela minha experiência é que, na verdade, somos nós próprios que temos que mudá-las. Quer através duma mudança de atitude perante a vida, quer através da concretização de projectos guardados nas gavetas, quer através da mudança de vida urbana para o campo, como parece estar a ser a sua aposta. Quem sabe se aí se reencontra e se reequilibra? A escrita, a música, a terra, são boas terapias e conselheiras. Tal como o silêncio, a amizade e as certezas do que não queremos para nós. É um percurso interno que se tem que fazer para obter resultados. Até lá, boa caminhada!

Ana disse...

Li atentamente todas as tuas palavras. Como as entendo !
Gostaria de te dizer muitas coisas, falar dessa nostalgia que é por vezes a nossa única companhia, da sensação de solidão, das formas de a ultrapassar. Gostaria ...
Aqui deixo-te apenas um abraço a pedir-te que nunca dês o braço ao desencanto. Ele não te merece!
Julgo não ter o teu e-mail... e é pena!
Um beijo, amiga.

MPS disse...

Minha cara

Serei a última pessoa capaz de lhe transmitir alento. Posso e devo, no entanto, lembrar-lhe o bem que me fez, porque é o bem que nos fazem que nos ajuda a ser capazes de enfrentar a vida nos momentos em que nos apetece ser passarinhos e meter a cabeça debaixo da asa.

Posso e devo lembrar-lhe, porque era impossível não reparar, que continua a mostrar garra: só alguém com muita garra se lembraria de, por ser Abril e por Abril fazer 35 anos, mostrar a beleza e a poesia de que esse nosso Abril foi feito.

Um grande abraço