domingo, 1 de fevereiro de 2009

Cântico Negro


"Vem por aqui" --- dizem-me alguns com olhos doces,
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom se eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui"!
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos meus olhos, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...

A minha glória é esta:
Criar desumanidade!
Não acompanhar ninguém.
--- Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre a minha mãe.

Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...

Se ao que busco saber nenhum de vós responde,
Por que me repetis: "vem por aqui"?
Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...

Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.

Como, pois, sereis vós
Que me dareis machados, ferramentas, e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...

Ide! tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátrias, tendes tectos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios.
Eu tenho a minha Loucura!

Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...

Deus e o Diabo é que me guiam, mais ninguém.
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou.
É uma onda que se alevantou.
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou,
--- Sei que não vou por aí.

José Régio

38 comentários:

vaandando disse...

È uma grande referência para todos nós; no meu blogue algures tenho esteCantico dito por Maria
Bethânea ....
Como sei que a aprecia a nossa cantora aqui fica a referência, Amiga Cata-vento !
abraço amigo
_________ JRMARTO

gaivota disse...

minha querida, se soubesses o quanto é importante este cântico de José Régio, e há quantos anos ele me acompanha...
há cerca de 40 anos que o "trago"
e continuo a não tolerar a mentira a hipocrisia nem a presença de quem se vende e se compra por mixordices!nem gente enraivecida...
acredita, isabel amiga, eu não vou por aí! nem baixo os braços, nem calo a voz!
também vou seguir um conselho/aviso de alguém muito sábio "o desprezo é a melhor arma!"
bem hajas e obrigada por existires!
mil beijinhosssssssss

Isa disse...

Querida,dos mais belos poemas de José Régio! A minha Mãe declamava-o
com paixão,com a força q. ele tem!
Envio-te um abraço comovido!
"Sei que não vou por aí"!!!
Beijoo.
isa.

Ps-estas sintonias emocionam-me.
Valem a pena!Sinal de q. nem tudo está perdido ou morto. Bem hajas!

elvira carvalho disse...

Um belíssimo poema de que eu gosto muito, pelo que ele contém de revolta e de querer.
Um abraço e uma boa semana

Fatima disse...

Grande escritor. Grande poema!

http://www.simecqcultura.blogspot.com/

Filoxera disse...

Já só me lmebrava do final...
Beijos.

avelaneiraflorida disse...

Cata-vento,

e se esse Cântico tomasse voz na boca de todos os que precisam de tomar as verdadeiras decisões...como seria bem diferente a vida!!!!!

Uma boa semana!!!!!
BjkaS!

pinguim disse...

Este poema é magnifico. Recordo-me de o ouvir declamado pelo grande João Villaret, que na parte final era entusiasmante e poderoso.
Beijito.

Isa disse...

Querida Amiga,tens selinho para tie mensagem.
Beijo.
Isa.

Pico minha ilha disse...

E eu não vou por ai, vou onde o coração manda.Não conhecia o poema, que em sim é um grito "mas sei que não vou por ai"
Beijinho daqui.

Jorge P.G disse...

Um dos poemas mais conhecidos e citados (em parte9 de José Régio, poeta dos maiores de sempre, quanto a mim.
Oportuno, nesta época em que por vezes se hesita demasiado no caminho a seguir.

Um abraço para ti e boa semana.

heretico disse...

um referência. de meus tempos de adolescente. gostei de ler. aqui

beijos

Iscte 72-77 disse...

Pois "Eu vim por aqui" para dizer que este é o MEU POEMA PREFERIDO. Há uns tempos atrás tb o transcrevi no meu blog....
contra o compadrio e ovelhice.

lagartinha disse...

Olha o poema favorito do meu filho!
Tem sido de uma grande ajuda para ele estas palavras...
Passei para deixar beijinhos em convalescença de uma gripalhada daquelas!

Isa disse...

Bom dia,quida.Sabes,hoje voltei aqui para reler o poema de Régio.
Este Cântico q. dá força.
A Guida ficou com as poesias, escritas pelo punho, da nossa Mãe.
Claro q.tenho esta noutro espaço.
Claro q.basta dizer q.olharei para o caderno da Mãe.
Venho deixar-te um bombom...
A "estórinha" é verdadeira e ñ tem mto tempo...
Beijoo.
isa.

Beijinho à tua Maria...

tinta permanente disse...

É, claro, uma referência da Poesia do José Régio. Que, aliás, alguém já o referiu aqui, soa belamente na voz de Maria Bethânia. E, já agora, permita-se-me a devida recordação, também o era na voz de Mário Viegas.
Hoje, o poema, parece ter algo de profético...

abraços!

Cata-Vento disse...

vaandando

Muito obrigada, amigo. A poesia, a música, a pintura,o cinema são paixões que alimento desde menina.

Tentarei localizar o cântico dito por Maria Bethânea.

Bem-haja!
Abraço fraterno.

Cata-Vento disse...

Gaivota

Minha querida amiga, já te vou conhecendo e não tenho dúvidas de que não sabes nem queres conviver com a mentira, a hipocrisia, a deslealdade...
Força!
Bem-hajas!

Beijinhos

Cata-Vento disse...

Isa

Um dos mais bonitos poemas portugueses e tão adequado aos tempos de hoje. A todos os tempos.

Bem-hajas!

Beijinhos mil

Cata-Vento disse...

Elvira Carvalho

Este poema tem-me acompanhado ao longo da vida. Foi-me lido pelo meu pai que muito gostava de José Régio.

Bem-hajas!

Beijinhos

Cata-Vento disse...

Fátima

José Régio é um dos Grandes da Língua Portuguesa.

Beijinhos

Bem-hajas!

Cata-Vento disse...

"Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou,
--- Sei que não vou por aí."

Três versos que dizem tanto daquele que os profere.

Bem-hajas!

Beijinhos

Cata-Vento disse...

Avelaneiraflorida

Como seria bem diferente a vida se houvesse coragem de dizer não ao seguidismo que ,muitas vezes, nos querem impôr.

Bem-hajas!

Beijinhos mil

Cata-Vento disse...

Pinguim

Este poema é PODEROSO!

Tenhamos força para dizer:

"Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou,
--- Sei que não vou por aí."

Beijinhos

Bem-hajas!

Cata-Vento disse...

Isa

Amiga, já tenho o selinho que me ofereceste, à beira do Cata-Vento.
Bem-hajas!

Mil beijinhos

Cata-Vento disse...

Pico minha ilha

Este é um dos poemas mais bonitos da poesia portuguesa. Intemporal!

Beijinhos

Bem-hajas!

Cata-Vento disse...

Jorge P.G.

Um dos poemas mais bonitos da língua portuguesa. Intemporal!
É preciso ter coragem para seguir o caminho que nos propomos sem hesitação, sem aceitar qualquer tipo de imposição.

Bem-hajas!

Um grande abraço,Joca!

Cata-Vento disse...

Heretico

Uma referência dos meus tempos de menina. Lido muitas vezes pelo pai que nunca aceitou o seguidismo que lhe queriam impor.

Beijos

Cata-Vento disse...

Iscte 72-77

Contra o seguidismo imposto por quem quer que seja.
É preciso coragem para o dizer mas a nossa geração soube fazê-lo.

Bem-hajas!

Cata-Vento disse...

Lagartinha

Tenho sentido a tua ausência, amiga! Cuidado com a gripe! Quero-te sempre bem verdinha.

Beijinhos para ti e filhote

Bem-hajas!

Cata-Vento disse...

Isa

Desconfiei que falavas de tempos recentes e que não se tivessem passado contigo.
Gostei muito. É o Amor!
Sabes, o pai lia este poema muitas vezes. Sempre foi contra o seguidismo que lhe queriam impor.

Beijinhos

Cata-Vento disse...

Tinta Permanente

Um poema /profecia declamado pelo nosso inesquecível Mário Viegas. Sempre intemporal, amigo!

Bem-hajas!

Um abraço fraterno

Brancamar disse...

Ontem passei por aqui, e tanto queria comentar este poema, mas estava tonta de todo com a perda de um amigo, com pessoas a ligarem-me a toda a hora.
Hoje volto, embora ainda mal, mas este é um momento que não posso deixar passar, foi sempre o poema que mais marcas me deixou na juventude e ainda hoje o sei práticamente de cor. Lembra-me também o meu professor de Português de quem tanto gostava. Gosto da força, da determinação e da indepêndência que estes versos transmitem.
Obrigada por o lembrares aqui.
Voltarei para ler o post seguinte. Amanhã estarei num funeral em Lisboa e depois volto Isabel, depois...não repares na minha ausência por estes últimos dias, têm sido uns dias difíceis e ando muito cansada.
Beijinhos
Branca

Cata-Vento disse...

Brancamar

Este mundo virtual é exactamente igual ao real para nós. Fiquei surpreendida e emocionada pois pensava que o teu amigo estava curado.Deus assim não quis e levou-o para outra dimensão.
Beijinhos mil, amiga querida.
Bem-hajas!

De Amor e de Terra disse...

Olá minha querida Amiga, boa tarde.
Continua a ser necessário bater o pé, com firmeza e dar voz a este grito de José Régio, sempre actual.
Beijos e obgda. por me (nos) relembrares este Poeta do Norte,de que muito gosto, nascido numa terra pegadinha às Terras da Maia.

Maria Mamede

Cata-Vento disse...

De Amor e de Terra

Minha amiga, este poema, que parece ter sido feito para os dias que vivemos, é intemporal. José Régio era lido pelo pai e todos ouvíamos deliciados.

Beijinhos

Bem-hajas!

jo ra tone disse...

Tinha que ser de José Régio
este belo poema.
Homem que não alinhou na ideia
da "Maria, vais com as outras"
Traçou o seu próprio caminho.
Um poema com muito sentido.
Gostei de ler.
Beijinhos
João

Cata-Vento disse...

Jo Ra Tone

Homens como este não há muitos mas ainda existem alguns que preservam a verticalidade, a honradez, a coragem de dizer não.

Beijinhos

p.s. Tinha saudades tuas.